2004-11-15

Os sete filmes da minha vida

1. Metropolis
Prod.: Alemanha, 1927
Real.: Fritz Lang
Arg.: Fritz Lang e Thea von Harbou
Género: Ficção científica

2. O Padrinho I
Prod.: EUA, 1972
Real.: Francis Ford Coppola
Arg.: Mario Puzo e Francis Ford Coppola
Género: Drama



3. Oedipus Rex
Prod.: Itália, 1967
Real.: Pier Paolo Pasolini
Arg.: Luigi Scaccianoce (segundo o drama homónimo de Sófocles)
Género: Drama

4. O Homem da Câmara de Filmar
Prod.: URSS, 1929
Real.: Dziga Vertov
Arg.: Dziga Vertov
Género: Documentário

5. Les Diaboliques
Prod.: França, 1955
Real.: Henri-Georges Clouzot
Arg.: Henri-Georges Clouzot (segundo o romance Celle qui n'était plus, de Pierre Boileau e Thomas Narcejac)
Género: Thriller

6. A Laranja Mecânica
Prod.: Reino Unido, 1971
Real.: Stanley Kubrick
Arg.: Stanley Kubrick (segundo o romance homónimo de Anthony Burgess)
Género: Drama, ficção científica



7. Noite Escura
Prod.: Portugal, 2004
Real.: João Canijo
Arg.: João Canijo, Pierre Hodgson e Mayanna von Ledebur
Género: Drama

5 comentários:

Anónimo disse...

Gostei do blog. Vai passar a ser visita habitual :)
Cumprimentos

bruno disse...

A Noite Escura

O filme é assim tão bom? É que já não és o 1º a dizer muito bem do filme....Vou adicionar o teu blog nos meus links.

Um abraço

http://boxofficedocinema.blogs.sapo.pt/

Flávio disse...

Obrigado a ambos pelos comentários.

Podes vir sempre que queiras, és muito bem-vindo nesta casa, Anónimo.

Sim Bruno, acredita que A Noite Escura é mesmo um filme maravilhoso e que não deixa ninguém indiferente: parece que saímos todos do cinema com a sensação de termos levado umas pauladas valentes no estômago. Obrigado também pela linkada e já que falas nisso, vou ver se arranjo um novo template que me permita fazer ligações - este que tenho agora acho que não permite.

Um abraço cinéfilo aos dois!

Arroz de Estragão disse...

Gosto da tua escolha :-)
São todos grandes filmes (não me posso pronunciar acerca do do Pasolini e o do Canijo que, infelizmente não tive ainda oportunidade de ver).

Acrescento ainda que, de todos os que mencionaste, o que gostei mais foi o Man with a Movie Camera; não é um filme da minha vida (e também não me lembro de nenhum que o seja) mas é, sem dúvida, o filme que me fez entender qual é a essência do cinema; isto para além do sublime conteúdo estético que apresenta.

Dos que apresentas, não tenho dúvidas que é "O filme da vida" de muitos (bons) realizadores...

Isto sem tirar o mérito aos outros; e, nomeadamente, o Metropolis, O Padrinho e A Laranja Mecânica parecem-me muito influentes naquilo que encontramos hoje nas salas de cinema.

Gostei do blog :-)

Até breve.

Anónimo disse...

Where did you find it? Interesting read film editing schools