2005-05-04

Ivo Ferreira

Quando o realizador Ivo Ferreira chegou ao Dubai, queria fazer apenas aquilo que sabe fazer melhor: bons filmes. Mas a vida tem destas coisas e o jovem cineasta acabou preso pelas autoridades locais. O seu crime: ter dado duas passas num charro. A detenção já se prolonga há um mês e deve ser repudiada por todos nós, porque é manifestamente injusta. Talvez não possamos fazer grande coisa, mas um mail de protesto ao Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal e à sede da polícia do Dubai sempre é melhor que nada. O Ivo arrisca-se a uma pena de 5 anos de prisão.

5 comentários:

S0LO disse...

Já não se pode fumar charros...ao que isto chegou :P LOL! Agora a sério, são as leis do país onde ele foi detido, não haverá muito que se possa fazer por ele...

Cumprimentos cinéfilos

Francis C. Afonso disse...

Injusto? Não faltava mais nada no que nós irmos agora ao Dubia dizer-lhes qual o quadro penal que devem ter para o consumo de droga. Qualquer dia vinha um gajo Dubai dizer-nos a nós o mesmo. Livra!

nunf disse...

"Em Roma sê Romano...", não me parece muito correcto pensar que apenas nós ocidentais é que estamos correctos e temos razão. Quando vamos para outro pais é suposto cumprimos as regras deles, tal como gostamos que os estrangeiros cumpram as deles em Portugal!

Flávio disse...

Vejam só que bela dupla de orientalistas! Eu concordo plenamente convosco e com o Edward Said quando afirmam que os ocidentais não têm que dar lições a ninguém. Mas em matéria de direitos humanos não há fronteiras geográficas. Se o Xeque do Dubai se lembrasse de legalizar o genocídio, seguramente que a comunidade internacional não poderia ficar de braços cruzados. O consumo de drogas não é tão chocante, mas é igualmente injusto. E é também uma questão de direitos humanos, porque os Estados não têm que perseguir as pessoas por aquilo que elas fazem na solidão da sua vida íntima. Prender uma pessoa durante cinco anos (!) por causa de um charro é, acho eu, um absurdo e uma violentação dos direitos mais básicos de qualquer pessoa em qualquer parte do mundo.

Luso erecto disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.