2005-05-06

Branca de Neve


Quando perguntaram a João César Monteiro porque é que o filme Branca de Neve (2000) ficou todo preto, ele contou uma pequena história. Era uma vez um filme normal que incluía actores, guarda-roupa e o décor festivo do Jardim Botânico de Lisboa. Estava-se já em plena fase de rodagem e o realizador Monteiro, numa manhã de algum sossego, resolveu parar numa pastelaria do Príncipe Real. Para alimentar o espírito, levou consigo dois livros. O primeiro chamava-se Execración contra los judeos, um relato das tropelias argentárias dos judeus portugueses na corte de Filipe IV. Trata-se, obviamente, de um texto de cariz anti-semita, cuja leitura o realizador recomenda vivamente. O segundo livro intitulava-se Graças e Desgraças do Olho do Cu e foi, para o cineasta, uma verdadeira fonte de inspiração: «então achei interessante fazer-se um filme que tomasse o ponto de vista do olho cego, do olho que não vê, do olho discreto, oculto geralmente entre duas belas rotundidades» (sic).

Até os monteiristas mais ferrenhos ficaram indignados. Um deles foi o nosso Hugo, criador do blogue Ford Mustang, que escreveu na altura o seguinte: «o Branca de Neve não é um produto artístico, é um produto meta-artístico, ou seja, é um filme cujo assunto é não a vida das pessoas, mas o próprio cinema; é um filme cujo objectivo não é contar uma história nem caracterizar uma personagem, mas dar nas vistas e ser notícia; ora nada é mais elitista e intelectualóide (no pior sentido) do que um produto artístico cujo público alvo é a comunidade artística-intelectual-pensadora-que-vive-de-subsídios […] O JCM pode fazer filmes que se discutam entre amigos em tascas e cafés e não para estudantes de cinema o discutirem em vernissages, em apresentações de ‘instalações’ e ‘performances’ entre duas linhas de coca e uma pastilha. É isso – amigos a falarem de JCM em tascas e cafés entre imperiais e tremoços – que faz mais sentido, e, aliás, é isso que ele sabe fazer melhor. Ele que faça o que sabe fazer melhor». As críticas são tremendamente injustas, porque há na realidade muito para ver, ainda que não seja com os olhos, no controverso ecrã negro.

Para os estudiosos, o filme de César Monteiro é um verdadeiro achado, porque enovela de uma forma completamente nova o cinema com a pintura, a música e a literatura e reacende a questão velhinha da influência recíproca das artes. Estas inter-relações não suscitam controvérsia quando o cinema se limita a representar um tema extraído de um texto poético, pictórico ou teatral. Mas já se tornam mais complexas, problemáticas e controversas quando se ultrapassa o plano estritamente semântico e se procura alcançar um nível de semelhanças, analogias ou isomorfias de ordem estrutural e técnico-formal. Claro que esta impureza do filme de Monteiro não é só por si nada de novo, pois tal como a educação de uma criança é feita pela imitação dos adultos que a rodeiam, também a evolução do cinema foi e continua a ser influenciada pelas artes mais antigas; a inovação está na eloquência da fórmula encontrada, o ecrã preto.

A analogia mais evidente com o fundo preto de César Monteiro é o célebre Quadrado Negro, de Kasimir Malevich, que nos remete para o universo da pintura. O controverso quadro consiste simplesmente nisso: um quadrado preto sobre um fundo branco no qual forma e cor se reduzem ao quase nada pictórico. Para o pintor russo, é um ponto final, um começar de novo sobre o qual se abre a possibilidade de voltar a escrever a história da pintura. O quadro de 1915 originou várias sequelas: o Círculo Negro surgiu por rotação do quadrado sobre a superfície; a Cruz Negra resultou do deslocamento do quadrado sobre os eixos horizontal e vertical; e o acrescentamento da cor vermelha originou o Quadrado Vermelho. César Monteiro negou terminantemente qualquer inspiração em Malevich, mas o ensimesmamento e desejo de renovação comuns aos dois autores parecem aproximar irremediavelmente as obras de ambos.

A adaptação de um poema dramático reacende a polémica da relação entre cinema e teatro, que é ainda hoje vista como qualquer coisa de herético. A expressão «teatro filmado» ganhou um sentido quase ofensivo e muitas vezes são os próprios cineastas que procuram envergonhadamente erradicar as marcas de origem das peças que adaptam ao ecrã, porque só o cinema puro seria verdadeiro cinema. Porém, a opção pelo teatro filmado não significa qualquer capitulação do realizador: bem pelo contrário, o emprego eficaz do despojamento extremo da fotografia, do ascetismo da découpage, da fixidez do plano ou da profundidade de campo procede sempre de uma mestria excepcional e de uma criatividade que é precisamente o oposto da mera filmagem passiva de uma peça teatral.

Aliás, há inúmeros casos memoráveis de teatro filmado. Em Henrique V, de Laurence Olivier, a teatralidade é assumida sem complexos: nunca chegamos ao interior do drama e ficamo-nos, isso sim, pelo registo cinematográfico de uma representação, com público e camarins, de uma peça de Shakespeare. Em Benilde ou a Virgem Mãe, de Manoel de Oliveira, o realizador não só se limita aos três décors previstos pelo autor da peça, como coloca no ecrã as indicações de «1º acto» ou «Fim do 1º acto». Quanto a Branca de Neve, é verdade que César Monteiro renunciou a toda a espécie de mise-en-scène tradicional, mas do drama original restou pelo menos o texto. Concebido em função das virtualidades teatrais, o texto já as contém em toda a sua plenitude. Ele determina o modo e um estilo de representação e é já, em potência, teatro.

A literatura, cuja cumplicidade com o cinema é antiga e intensa, surge com um fulgor enorme em toda a filmografia de César Monteiro. Não que o realizador tenha recorrido com frequência a obras literárias; aliás, Branca de Neve foi a única adaptação literária em toda a sua carreira. Esse seu entusiasmo pelas Letras manifesta-se sim nas citações abundantes de grandes escritores, na adopção de temas literários e sobretudo no seu prazer evidente da palavra. O argumentista, crítico e ensaísta João César Monteiro escreve com elegância e eloquência e sabe, como poucos, extrair da linguagem todo o seu suco poético.

As marcas literárias de Branca de Neve surgem logo com a insólita Errata no início do filme, o que nos remete para os livros. Eis o que escreveu então o realizador: «Na fala do Príncipe, onde se ouve humanidade, deveria ouvir-se humidade. Embora se trate de uma muito humana humidade, o realizador aproveita o erro para pedir as suas mais sentidas desculpas ao espectador, aqui e agora transformado em espectáculo. João César Monteiro».

O que se segue é um texto extraordinário do suíço Robert Walser, cuja actividade literária foi de 1904 a 1925. As suas obras, escritas com uma simplicidade clarividente e uma limpidez de estilo, influenciaram profundamente autores como Franz Kafka. César Monteiro terá seguramente apreciado a sua irreverência, o seu desprezo pelos convencionalismos e a ironia com que mascarava a solidão absoluta em que viveu. O realizador português ter-se-á também identificado com a sua biografia atribulada: Walser foi internado em 1929 num hospital psiquiátrico, sem que nunca se tenha percebido muito bem porquê.

João César Monteiro levou esta sua admiração ao limite e respeitou escrupulosamente o texto original. Aliás, o realizador foi duplamente fiel ao poema walseriano. Não só porque limitou as alterações a um mínimo indispensável, mas também porque o seu ecrã negro, solução estética encontrada após um longo e penoso processo de reflexão, concedeu a primazia absoluta ao texto adaptado. Libertas do fogo-fátuo das imagens cinematográficas, as palavras de Walser podem agora ostentar-se em todo o seu brilhantismo e eloquência. Quem sabe, talvez Monteiro tenha sido inspirado por aquilo que Branca de Neve disse ao Príncipe quando se encontraram no jardim: «Não, diz, o que vês? Diz logo. Através dos teus lábios deduzirei o bonito desenho desse quadro. Se o pintasses, por certo atenuarias habilmente a intensidade da visão. Então, o que é? Em vez de olhar, prefiro escutar».

29 comentários:

jorge disse...

encaminhei-te perguntas da vida é larga!

musqueteira disse...

Estive nesta estreia com o meu vizinho, João César Monteiro,
no King-Triplex! Todos os residentes do Principe Real, estiveram na estreia, e todos disseram que tudo estava "mal"!
Um pano negro sobre a Camara!...E assim foi! Esquecendo o que pensava o homem do talho, ou a florista em que o mesmo circulava, à procura de certos enredos...Fez, o que entendeu, como quem faz uma exposição num Museu e inaugura sem "quadros".
Eis a obra!

jorge disse...

voltei para ler o texto:
excelente!
os meus cumprimentos.

S0LO disse...

O texto está de facto excelente :)! Não tive a oportunidade de ver o filme mas lembro-me de ouvir falar dele na altura da estreia e da polémica que houve...Sinceramente, diga-se o que disser, um filme com o ecrã preto não tem nenhum motivo de interesse...para isso passavam-no na rádio! Com o mesmo dinheiro prefiro pagar para assistir a um filme com imagem, por muito mau que este seja!

Cumprimentos cinéfilos

gonn1000 disse...

Gostei do texto, mas destaco especialmente o teu bom gosto para seleccionar imagens. Escolheste uma das mais belas do filme, parabéns!

Flávio disse...

eh eh eh eh Já que falas nisso Gonçalo, o filme tem realmente algumas imagens e todas elas são muito expressivas: Robert Walser morto sobre a neve, o céu azul, as ruínas de uma mesquita debaixo da Sé de Lisboa e, no final, o César Monteiro, como que já a adivinhar a controvérsia, a mandar calar os espectadores.

gonn1000 disse...

Não foi ele que disse "eu quero é que os espectadores se f...."???

Vera disse...

Bem este texto quase que me faz gostar do filme. Mas nem assim...
Acho que foi só uma forma de mostrar que se podem brincar com os subsídios do ICAM e que estes são atribuídos pelo autor (no caso de nomes como João César Monteiro ou Manoel de Oliveira) e não pelo interesse na obra propriamente dita.

Flávio disse...

Olá Vera e bem-vinda! Sim, tens toda a razão quando referes o problema dos subsídios. O projecto apresentado ao ICAM falava de um filme perfeitamente convencional, com guarda-roupa e cenários e tudo. Depois, deu-se a reviravolta que todos já sabemos e o filme acabou por custar muito menos que o previsto. Seja como for, parece que o produtor devolveu a massa e por isso agiu com honestidade.

:))))) Exactamente, Gonn. A jornalista da SIC pergunta: as más línguas dizem que você cobriu a câmara com um casaco. JCM, igual a si mesmo, responde: «eu quero é que as más línguas se fodam!»

dermot disse...

Grande texto, como de costume.

O Branca de Neve foi uma polémica à parte na polémica vida e obra de João César Monteiro. Não gostei, tal como não gostei da maioria da sua obra. No entanto, é um objecto absolutamente único na filmografia portuguesa.

Entender, no entanto, o Branca De Neve passa por conhecer a vida do JCM. Quem privou de perto com ele entende de certeza os seus desvarios cinematográficos, igualmente proporcionais aos da sua própria vida.
Apesar de insano, era um génio insano e não se pode negar isso.

A sua obra foi necessária à cultura portuguesa e deve ser recordada. pelos bons ou pelos maus motivos.

Flávio disse...

Obrigado pelo comentário, Dermot. Referiste dois aspectos importantíssimos: o carácter autobiográfico dos filmes de JCM e a sua alegada loucura.

Há tempos, um dos maiores realizadores portugueses falou-me num almoço de algumas das alegadas maluqueiras de César, mas confesso que não percebi se as palavras dele eram mais figuradas que rigorosas.

Seja como for, todos os que conviveram com ele concordam que se tratava de um temperamento... especial. Aliás, isto não me surpreende nada, porque o nosso saudoso César era genial e o génio anda quase sempre de mãos dadas com a loucura.

Infelizmente, já não vou a tempo de conhecer o senhor pessoalmente e tirar a prova dos nove. A nossa Musqueteira é que teve mais sorte: era vizinha dele e, quem quiser, poderá ler um comentário dela sobre isso no seu blogue.

Anónimo disse...

Em Benilde ou a Virgem Mãe, lembro-me que fiquei surpresa e muito positivamente pelo desempenho da esposa do Dr Mario Soares!
Valéria mendez

Anónimo disse...

só queria deixar uma nota:

o filme "hurlements en faveur de Sade"(1952) de Guy Debord, na altura pertencendo á internacional letrista e depois á internacional situacionista, era composto totalmente por projecções alteradas de preto e branco, em que na imagem branca (luz do projector) falam 5 vozes inespressivas frases dispersas e em ecrãn preto existe o silencio total.

Ne-To disse...

Era de facto um excelente realizador... chamem-lhe o que quiserem "Louco" "génio louco"... o que quiserem. Mas sem qualquer duvidad alguma "diferente" será a palavra de ordem :D

Qtos aos subsidios, foi dito que Paulo Branco devolveu parte do dinheiro... mas pelo que ouvi de António Pedro Vasconcelos a relativamente pouco tempo, parece que tal coisa nunca ocorreu.

Cumprimentos

Anónimo disse...

Where did you find it? Interesting read Pitney bowes fax Mitsubishi eclipse engine specs Chennai call center bed shell for subaru baja reduce debts debt consolidation services reduce de http://www.drugs-online-buy-butalbital-without-a-prescription.info/wanttofindbutalbital.html http://www.blonde-babe-blow-job.info/Linux_web_cam_driver.html Adipex online cheap Ian diack body builder Laser tattoo removal cedar hill free lesbian bdsm clips

Anónimo disse...

What a great site film editing schools

Anónimo disse...

Very cool design! Useful information. Go on! http://www.ordervaliumonline.info hair loss product http://www.300c-chrysler.info Tons of free porn order lexapro online Avon auto brokers Antidepressants damage brain Patriot mortgage circle of life diamond pendant Ambien com lowest price anbien ass fucking Gold lotto buy tramadol best refinance rate Jvc gc-qx3hdu digital camera http://www.gmc-canada.info North shore dance academy peabody ma

Anónimo disse...

free gay personals [url=http://loveepicentre.com/]ohio christian singles links[/url] free india chatting and dating sites http://loveepicentre.com/ free gay dating

Anónimo disse...

loan for dental procedures [url=http://usadrugstoretoday.com/products/voltaren.htm]voltaren[/url] is 10146 blood pressure reading okay http://usadrugstoretoday.com/products/torsemide.htm top notes heart base http://usadrugstoretoday.com/products/viagra-plus.htm
men have more stress [url=http://usadrugstoretoday.com/products/baclofen.htm]baclofen[/url] calgary health regio login [url=http://usadrugstoretoday.com/products/maxaman.htm]female orgasm sound files[/url]

Anónimo disse...

yz racing http://automotoportal.in/seat/mb-car-safety-seat zen automobile british columbia
[url=http://automotoportal.in/martin/aston-martin-dealer]mercedes benz of nashville[/url] infinity automobile usa [url=http://automotoportal.in/porsche/preowned-porsche]preowned porsche[/url]
san diego big three auto swap http://automotoportal.in/motors/south-beach-motors-huntington-beach
[url=http://automotoportal.in/motorcycle/bmw-motorcycle-service]do it yourself automobile garages and rent[/url] mercedes benz houston [url=http://automotoportal.in/ktm/obsolete-ktm-parts]obsolete ktm parts[/url]
rolling automobile chassis http://automotoportal.in/racing/maryborough-drag-racing
[url=http://automotoportal.in/opel/opel-tigra]volkswagen golf technicul information[/url] auto oglas srbija mercedes [url=http://automotoportal.in/saab/saab-window]saab window[/url]

Anónimo disse...

how do soundwaves travel through objects http://wikitravel.in/motel/motel-langkawi travel from amarillo to albuquerque
[url=http://wikitravel.in/flight/microlight-flight-in-perth]tow travel trailer verses gooseneck or fifth wheel[/url] all aboard travel la mirada ca [url=http://wikitravel.in/airline/cheap-airline-tickests]cheap airline tickests[/url]
abetta care travel nurse http://wikitravel.in/tour/brochures-for-tour
[url=http://wikitravel.in/lufthansa/creator-of-boeing-sst]insurance claims travel kilometric rates queensland australia[/url] commissions paid to travel agent 1099 [url=http://wikitravel.in/travel/government-travel-opm]government travel opm[/url]
rail travel across usa http://wikitravel.in/maps/wilminington-north-carolina-maps st petersburg tallinn travel [url=http://wikitravel.in/cruise/cameron-cruise]cameron cruise[/url]

Anónimo disse...

joey lauren adams nude http://topcitystyle.com/gucci-sandals-brand12.html website designers [url=http://topcitystyle.com/m-dolce-amp-gabbana-size5.html]erections under clothes[/url] fashion games for girls to play
http://topcitystyle.com/gray-dress-shirts-color99.html tourti galis architects urban designers [url=http://topcitystyle.com/armani-jeans-classic-dress-shirt-for-men--item1293.html]free waldorfdoll clothes patterns[/url]

Anónimo disse...

teen fashion magazine http://topcitystyle.com/shoes jordan shoes [url=http://topcitystyle.com/off-white-navy-blue-dolce-amp-gabbana-color17.html]fashion knitting[/url] fashion nails columbia city
http://topcitystyle.com/cream-women-apos-s-long-sleeve-tops-color68.html black and white fashion [url=http://topcitystyle.com/turquas-gucci-color168.html]toddler girls clothes[/url]

Anónimo disse...

pebbles porn home http://theporncollection.in/mature-xxx/mature-couple-homemade-sex-video
[url=http://theporncollection.in/orgasm/orgasm-drink]playa del carmen adult[/url] free porn videos with stories [url=http://theporncollection.in/incest/incest-directories]incest directories[/url]
free anal exanpels http://theporncollection.in/incest/unwanted-preganancies-occur-due-to-rape-or-incest-in-malaysia
[url=http://theporncollection.in/orgasm/sustaining-orgasm]largest porn dvd selection[/url] partyhardcore amateur pics [url=http://theporncollection.in/gay-love/is-the-dog-a-jew-or-is-it-gay]is the dog a jew or is it gay[/url]
asian porn slave http://theporncollection.in/porn-galleries/fee-pass-porn
[url=http://theporncollection.in/hentai-porn/harem-hentai]raunchy adult cell phone text messages[/url] squirting by a dildo [url=http://theporncollection.in/porn-girl/celebrities-cartoon-porn]celebrities cartoon porn[/url]
titian the virgin and child http://theporncollection.in/gay-sex/gay-loutraki
[url=http://theporncollection.in/lesbian-sex/lesbian-free-pictures]hentai comix blog[/url] hentai chiyo chan [url=http://theporncollection.in/sex-mature/mature-lesbian-toying]mature lesbian toying[/url]

Anónimo disse...

virgin swap phones rintones http://xwe.in/toon/tinkerbell-toon-porn
[url=http://xwe.in/condom/how-reliable-are-condoms]sexy office clips[/url] best hentai picture [url=http://xwe.in/shemale/asian-shemale-free-movie-downloads]asian shemale free movie downloads[/url]
amateur sex blow http://xwe.in/nylon/what-is-micro-ballistic-nylon
[url=http://xwe.in/teen-ass/ass-pounding-porn]cheap adult novelties online[/url] porn sex xxx [url=http://xwe.in/bbw/bbw-bondage]bbw bondage[/url]
sexy girls fighting in bathing suits http://xwe.in/orgy/seven-wet-girl-orgy-video
[url=http://xwe.in/shemales/shemales-and-young-boys-movies]wife dildo ass[/url] beaver dam child porn [url=http://xwe.in/gay-boy/chinese-boys-cute-gay-18]chinese boys cute gay 18[/url]
porn star mckinzie miles http://xwe.in/bbw/free-bbw-amateurs
[url=http://xwe.in/bbw/black-bbw-mistress]video of bbw girl with dildo in her ass[/url] new hentai list [url=http://xwe.in/gay-boy/corbin-gay-cruising]corbin gay cruising[/url]

Anónimo disse...

matthew hellyer retro lamp designers http://www.thefashionhouse.us/?action=products&product_id=2061 lego designer [url=http://www.thefashionhouse.us/richmond-women-casual-tank-toptunic-black-item1736.html]henschenklein worten[/url] sexy clothes for women
http://www.thefashionhouse.us/dzll-men-brand76.html jessica simpson henri shoes [url=http://www.thefashionhouse.us/on-sale-page4.html]sexy womens shoes[/url]

Anónimo disse...

first female medical doctors [url=http://usadrugstoretoday.com/categories/weibliche-verstarkung.htm]weibliche verstarkung[/url] safe medicine for stress http://usadrugstoretoday.com/categories/anti-depressant-anti-anxiety.htm
pilots and diet soda [url=http://usadrugstoretoday.com/products/imuran.htm]imuran[/url] calcium removal in radiator [url=http://usadrugstoretoday.com/products/levothroid.htm ]remedy stomach infection [/url] greek words in medicine
environmental health regualtion for a hospital laboratory [url=http://usadrugstoretoday.com/products/aristocort.htm]aristocort[/url] lump in vaginal wall http://usadrugstoretoday.com/products/decadron.htm
gallbladder removal treatment diet [url=http://usadrugstoretoday.com/categories/erectile-dysfunction.htm]erectile dysfunction[/url] real surprising facts about the great depression [url=http://usadrugstoretoday.com/products/glucophage.htm ]starch vs carbohydrate [/url] great depression in detroit

Anónimo disse...

video game designer college http://www.thefashionhouse.us/white-blue-on-sale-color55.html recipe for old fashioned malt [url=http://www.thefashionhouse.us/philipp-plein-women-brand31.html]hydrogen technologies denny klein[/url] dino de laurentis
http://www.thefashionhouse.us/gianfranco-ferre-sweaters-brand23.html quotes on big shoes to fill [url=http://www.thefashionhouse.us/women-jeans-type3.html]joey lauren adams nude[/url]

cheap viagra disse...

Really great post, Thank you for sharing This knowledge.Excellently written article, if only all bloggers offered the same level of content as you, the internet would be a much better place. Please keep it up!