2006-08-01

Tony Soprano


Boas notícias: Tony Soprano está vivo. O senhor saiu do coma, está bem de saúde e já podemos todos respirar de alívio. Mas não será estranho que nos sintamos aliviados? Afinal de contas, o protagonista da série Os Sopranos está longe, muito longe de ser um herói ou uma pessoa impoluta. Tony lidera a organização criminal mais poderosa de Nova Jersey e é responsável por fraudes, raptos, extorsões e homicídios. Ainda para mais, é um indivíduo homofóbico, machista (deixa a mulher fechada em casa, enquanto vai para a cama com as suas goomahs) e racista. Então, como se explica que gostemos tanto dele?

Tony Soprano poderá ser mau, mas não é completamente mau. Apesar de todas as brutalidades que comete, ele não é um indivíduo totalmente desprovido de escrúpulos e já deu algumas provas de carácter. O caso mais evidente é a relação com os seus filhos: Tony adora os miúdos e toma os maiores cuidados para que, de futuro, eles não enveredem pela vida do crime. «Tudo o que eu faço é por ti e pelo teu irmão», disse ele à filha e com razão.

O que talvez não seja tão evidente é que as razões que fazem de Tony um homem mau são as mesmas que o tornam bom. Ele é ao mesmo tempo um criminoso brutal e um tipo decente, porque adopta um sistema moral muito particular: família e negócios são a espinha dorsal do seu código de valores e que ele sobrepõe a todas as outras coisas. Tony Soprano só se preocupa com os familiares e amigos e fará de tudo para proteger essas pessoas que lhe estão mais próximas. Este é o seu grande erro, pois a moral deve ser essencialmente imparcial.

A realidade, porém, é que o pensamento moral dominante nos nossos dias é o da parcialidade. Poderemos não ser chefes mafiosos, mas normalmente só pensamos numa parte das pessoas que são afectadas pelas nossas acções. Por exemplo, a pessoa que oferece presentes caros aos familiares em vez de ajudar organizações humanitárias não é censurada, porque age correctamente com a família e é só isso que a moralidade exige dela; e ninguém se escandaliza com o sindicalista que coloca os interesses da profissão à frente do bem comum, já que ele age por lealdade aos seus colegas. Em matéria de princípios, Tony Soprano não é muito diferente de qualquer um de nós.

9 comentários:

SAM disse...

hô amigo! Tenho andado muito ausente...trabalho!! Passei aqui para matar saudades e Piiiimmba, descubro que es fã de SOPRANOS!!!

hahahaha mas eu sou muito mais fã!! sou FÃ FÃ FÃ FÃ FÃ FÃ FÃ FÃ FÃ.....jÁ TE DISSE QUE SOU FÃ????

TENHO AS SERIES TODAS!
E T-SHIRTS
E CINZEIROS
ESQUEIROS
UMA CAIXA DE CHARUTOS QUE DIZ "THE SOPRANOS" E TEM A FOTO DO TONY!!! ( OS CHARUTOS É A JOIA DA CROA )
E CLARO OS POSTERES!!
Já vi tanta vez as series que até sei as falas de cor!!!

ps: já te disse que sou fã??

bem, dentro do código dees ( máfia ) tudo está correcto, e tudo se justifica. Quando ele disse à filha ( já meio bêbado ) ...pudera, Não foi acusado de homicidio do Bevaláqua por um triz!!! bem...ele disse "tudo o que faço é por Ti e por teu irmão, mas isso é o Tony que mente ( ele já era "Made Man" bem antes de casar )...Ele faz o que faz porque fez um juramento...porque é um soldado! Vendo isso na perspectiva "militar" tudo o que é permitido aos soldaos também é aos mafiosos!!
Bem mas tudo isso dava "pano pra mangas a falar" e não tenho tempo!

ps2 Where is the fucking money ???

SAM disse...

ps3 : ás vezes penso que o Tony daria um grande 1º ministro!! não achas?
Já te disse que sou fã???? hehehehe

Abraço Libertario!
Sam ;-)

Ofeliazinha disse...

Uma série que é tão boa que chega a ser irritante. Abraço.

Turat Bartoli disse...

Tony Soprano. É o meu herói televisivo, ao lado de Homer Simpson!:)

E já agora, admito aqui que prefiro Sopranos, no campo da televisão, do que Padrinho, no campo do cinema. E gosto imenso dos dois, claro.

Abraço

gonn1000 disse...

"Em matéria de princípios, Tony Soprano não é muito diferente de qualquer um de nós."

Bem, eu nunca matei ninguém...

E mesmo que o Tony tenha o seu código de honra, não é suficiente para que me preocupe com ele, o que me cria algumas resistências à série.

Maria Strüder disse...

saudades...

Maria Strüder disse...

Em resposta ao comentário no meu blog: Conheco "O Grito" é simplesmente genial, marca uma época de obscurantismo que Munch soube retratar em toda a sua perfeição.

Flávio disse...

Nem mais. Adoro esse quadro, é um quadro para ler e ouvir. Deve ser o quadro mais sonoro da história da pintura.

Mário Lopes disse...

Todos nós temos um Tony Soprano dentro de nós :)...

Abraço